O que impede as pessoas de doarem? Descubra quais são as principais objeções!

"O povo brasileiro, apesar de ser muito solidário, desconfia muito na hora de realizar uma doação"





As entidades apesar de terem um papel muito importante na sociedade, dependem muito das doações de pessoas e empresas para funcionarem e levarem ajuda aos mais necessitados. E, o doador, neste contexto, é a peça fundamental para que todas as ações de uma entidade tenham efetividade.


Doar, faz parte da consciência coletiva para o benefício da sociedade. Ajudar o outro acarreta em uma grande evolução positiva para a população, seja para quem recebe como para quem doa.


Entender o valor desse ato retrata o quanto uma sociedade é saudável e democrática. Ou seja, a consciência coletiva de um povo é mais elevada caso ela tenha o costume de doar. Pensando nos benefícios que esse ato de carinho traz para todos, por que ainda há pessoas que não têm o costume de doar?


Confira abaixo quais são as principais objeções:


1- Desconfiança:


Segundo especialistas, a crise econômica e a política do país, trouxe insegurança na hora de decidir contribuir com uma causa.


Em sua grande maioria, o brasileiro doa para instituições próximas a ele, já que assim pode controlar onde seu dinheiro está sendo distribuído. Portanto, apesar de ser um povo solidário, não saber para onde o dinheiro vai é um impasse na hora de fazer bem ao próximo.


Para que esta desconfiança acabe, é necessário uma evolução e transparência para que o doador obtenha informações referentes ao destino da doação. Essa é uma percepção diferente de outros países como a Europa e EUA.


2- Entendendo o papel da ONG:


Muitas pessoas, apesar de quererem doar, não entendem o papel da ONG como um todo. Frequentemente, as organizações não governamentais são confundidas com organismos sociais, que fazem mau uso do dinheiro e má distribuição.


Portanto, antes de tudo, é importante entender que elas podem atuar, de forma filantrópica, em diversas áreas específicas como da saúde, educação, assistencial, economia, ambiente e muitas outras.


Entendendo o papel da ONG, é possível que mais pessoas tenham conhecimento das suas intenções e passem a doar com mais frequência.


3- Falta de clareza da causa:


Falta conhecimento da causa. Apesar da boa intenção e efetividade no trabalho das entidades, muitas vezes, a comunicação falha impede que o doador entenda o objetivo daquela ação.


Na pesquisa Doação Brasil, feita pelo Idis, os entrevistados responderam que doariam mais se soubessem qual de qual modo suas contribuições são usadas e se as instituições fossem mais transparentes.


Então abuse da comunicação, quanto melhor é a comunicação da sua entidade, melhor serão os resultados com a captação, já que mais pessoas vão entender para que estão doando.


4- Não falar sobre a doação:


A empatia faz parte do ser humano. Nos colocarmos no lugar do próximo é uma questão de instinto. Por isso, é preciso falar sobre a doação para que ela se torne parte da vida e cotidiano das pessoas.


Uma boa comunicação faz com que a população conheça a entidade e a causa, criando o interesse em possíveis doadores. Por isso, educar, através de informação, é a melhor maneira de chamar atenção a causas sociais.


Conclusão: Quando conseguirmos ultrapassar estas barreiras, abusando da comunicação assertiva e de muita informação, encontraremos o caminho para o sucesso na captação de doação!


Vamos lá?

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo